Novo mercado de recebíveis deve ser criado pelo Banco Central em 2021

BC tem sido responsável por grandes mudanças no mercado financeiro brasileiro

 

Nos últimos anos, o mercado financeiro do Brasil mudou muito. Pode-se dizer, que muitas dessas mudanças ocorreram por causa do Banco Central (BC). Ou seja, através da “Agenda BC”, a qual é um programa de modernização, sustentado por pilares de competitividade, inclusão, transparência, bem como segurança. Dentre as grandes novidades desse programa, está o Pix. A partir da grande inovação, a próxima promessa do BC é a criação do novo mercado de recebíveis. 

A grande maioria das empresas brasileiras, seja ela indústria ou varejo, atualmente precisa adiantar parte ou todo o seu recebível para circular sua operação. Este, é um mercado de quase R$ 1 trilhão, o qual conta com pouca tecnologia, competição e padronização. 

Ao visar dar mais segurança e transparência ao mercado atual e futuro, o Banco Central lançou a Infraestrutura do Mercado Financeiro. Ou seja, empresas de sistemas que, a partir de autorização, operam e desenvolvem tecnologia de ponta para efetuar o registro, bem como a escrituração de ativos financeiros. Como exemplo, do agronegócio, duplicata e recebíveis de cartões de crédito.

Ainda em 2021, está previsto entrar em vigor, a Resolução nº 4.734 do Banco Central. Assim, o BC criará um novo mercado de recebíveis. Ou seja, vai ser preciso cadastrar, em uma câmara registradora, os recebíveis de pagamentos com cartões de crédito. Em seguida, o lojista vai poder escolher com quem deseja realizar a antecipação. 

O BC prevê ainda, em que em 2022, cria-se a obrigatoriedade do registro de duplicadas. Dessa forma, empresas autorizadas a atuar, bem como o Banco Central, estão analisando qual o melhor modelo a ser instaurado no Brasil. 

http://www.portaldofomento.com.br/